A Ufes, por meio de seu Núcleo de Acessibilidade (Naufes), adquiriu seis equipamentos, conhecidos como videofones, com o objetivo de dar mais autonomia comunicativa e ampliar o acesso das pessoas com deficiência auditiva aos serviços da Universidade.

O primeiro aparelho foi entregue na tarde desta segunda-feira, dia 14, para a Pró-Reitoria de Graduação. A previsão é que todos os videofones sejam entregues ainda neste mês.

O videofone é um equipamento com tela e câmera que possibilita a comunicação entre pessoas surdas e ouvintes por meio da Língua Brasileira de Sinais (Libras). Ao fazer uma chamada telefônica pelo videofone, o surdo será atendido por uma central de intérpretes que irá retransmitir a mensagem, por voz, para o destinatário. Além disso, com o auxílio da tecnologia, um servidor da Universidade poderá atender às pessoas com deficiência auditiva e de fala sem precisar solicitar a presença de um dos dez intérpretes que atuam na Universidade.

A Universidade investiu R$ 13.400,00 na aquisição dos equipamentos e créditos para as ligações. Como a tecnologia funciona no sistema pré-pago, foram adquiridos créditos válidos por um ano, mas que podem ser remanejados entre os aparelhos. A Universidade também pode utilizar os créditos para utilização num aplicativo que funciona em qualquer computador. Receberão o videofone o Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes), em São Mateus; o Centro de Ciências Exatas, Naturais e da Saúde, em Alegre; o Departamento de Assistência Estudantil da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Cidadania; o Núcleo de Acessibilidade da Ufes (Naufes); e o Centro de Ciências da Saúde (CCS), em Maruípe.

Para o coordenador do Naufes, César Cunha, o sistema deve ampliar a autonomia do surdo dentro da Universidade. “Antes da chegada desses aparelhos, o auxílio ao surdo somente era feito com a presença de um intérprete. Agora poderemos atender com muito mais autonomia e qualidade às 31 pessoas da comunidade universitária que têm alguma deficiência auditiva, entre professores e alunos, e também aqueles que procuram os nossos serviços”, salientou Cunha.

Fonte: Universidade Federal do Espírito Santo

Comentários no Facebook