Vizinho tentou alertar policiais que Magdiel Sánchez, de 35 anos, não podia ouvir ordens para soltar cano e deitar no chão. Atingido por uma arma de choque e um tiro, ele morreu antes da chegada do serviço de emergência.

A polícia de Oklahoma City, nos EUA, matou na terça-feira um homem que não obedeceu às ordens dos agentes por ser uma pessoa surda, reconheceram nesta quarta (20) fontes policiais.

Magdiel Sánchez, de 35 anos, morreu na porta de sua casa depois de sofrer um disparo após os policiais ordenarem que ele soltasse um cano que carregava e deitar no chão, embora um vizinho tenha tentado alertar que o homem não podia ouvi-los.

Segundo a agência EFE, o incidente aconteceu na noite de terça, quando dois agentes tentavam localizar o dono de um veículo que pouco antes tinha se envolvido em um acidente de trânsito e fugido.

Os policiais receberam um aviso de que o motorista do veículo poderia ser o pai de Magdiel Sánchez, por isso que se dirigiram à sua casa.

Ao chegar, o tenente Matthew Lindsey encontrou o homem sentado na varanda e com um cano nas mãos, por isso decidiu pedir reforços.

“Quando chegou a unidade de reforço, começaram a dar indicações ao indivíduo para que soltasse a arma e deitasse no chão”, relatou nesta quarta-feira a capitã Bo Mathews, chefe da Polícia de Oklahoma.

Nesse momento, Magdiel ficou de pé e caminhou na direção dos agentes, ainda com o cano nas mãos.

Apesar de, segundo Mathews, pelo menos um vizinho ter avisado aos policiais que ele não podia escutá-los, Lindsey disparou com uma pistola de choque, enquanto um segundo agente, o sargento Christopher Barnes, abriu fogo contra Magdiel, que morreu antes da chegada do serviço de emergência.

De acordo com a Associated Press, Sánchez, que não tinha antecedentes criminais, também não falava e se comunicava principalmente através de gestos. Um de seus vizinhos, Julio Rayos, disse ao jornal “The Oklahoman” que ele tinha problemas de desenvolvimento e pode ter se aproximado dos policiais ao perceber que não estava conseguindo se comunicar direito com eles.

Outra moradora da vizinhança, Jolie Guebara, afirmou que Sánchez costumava se comunicar com ela e seu marido através de bilhetes e que era comum vê-lo perto de sua casa com uma espécie de bastão, que ele usava para afastar cães de rua. A polícia inicialmente chegou a dizer que ele carregava um bastão quando foi morto, mas depois mudou a versão e afirmou que ele portava um cano.

Fonte: G1 Globo

Comentários no Facebook