Para ter intérpretes de Libras nos atendimentos públicos.

O vereador Olímpio Álvis (PR) usou da Tribuna Livre da Câmara Municipal na sessão desta quarta-feira (16), para cobrar do prefeito municipal o cumprimento de uma promessa a uma indicação de sua autoria, que disponibiliza pelo menos dois servidores habilitados como intérpretes de sinais (Libras), para prestar auxílio aos deficientes auditivos (surdos).

De acordo com o vereador a Associação dos Surdos de Rondonópolis, existe há mais de 20 anos, e atualmente existem cerca de 1,5 mil deficientes na cidade, e que encontram muita dificuldade, quando enfrentam algum problema de saúde e procuram atendimento médico, por exemplo. “É que muitas vezes, eles não conseguem se comunicar com o médico em questão e repassar o que sentem, no caso de uma consulta”, explica Álvis.

Pela proposta do vereador, o município capacitaria ou contrataria servidores e os disponibilizaria a permanecerem na sede da associação à disposição dos deficientes, a acompanha-los quando de suas necessidades mais emergenciais.

Dado o alto número de pessoas portadoras dessa necessidade especial, o auxílio de um profissional interprete de sinais (libra), seria de grande valia na opinião do vereador.

Ainda de acordo com Olímpio Álvis, portadores de outras necessidades, como pessoas com Síndrome de Down, etc., têm a APAE para lhes prestar auxílio. Os deficientes Visuais por sua vez, têm a Associação dos Deficientes Visuais e até a Escola Luiz Braille. Por isso, ele acredita que os surdos também poderiam dispor desse auxílio do poder público.

Olímpio disse ainda que já manteve contato com o Governo do Estado e conseguiu que monitores da Secretaria de Educação do Estado venham a Rondonópolis disponibilizar treinamento e capacitação de multiplicadores interessados em fazer um curso de libras.

Finalizando, o vereador repassou que o prefeito teria se sensibilizado com a sua proposta e sinalizado positivamente em atender à sua indicação. Mas o que ele espera, é que essa ajuda seja feita o quanto mais rápido.

Fonte: Notícias de Mato Grosso

Comentários no Facebook