Família tem dificuldades para fazer traslado do corpo de Iana Budiukina, que custa 15 mil dólares. Jogadora foi atropelada em 30 de junho no Rio de Janeiro, onde estava a turismo, e não tinha seguro de viagem. Jornais brasileiros divulgaram apenas “morte de mulher não identificada”.

A família da jogadora da seleção russa de futebol de surdos Iana Budiukina, 31, está enfrentando dificuldades em trasladar seu corpo do Brasil para a Rússia.

A russa morreu atropelada no dia 30 de junho, às 3:48, dentro do túnel São Conrado, na estrada Lagoa-Barra, de acordo com informação do DEAT (Delegacia de Especial Apoio ao Turismo) divulgada pelo consulado do Brasil em Moscou.

Segundo a família de Budiukina, o consulado informou a necessidade de se pagar uma taxa de 15 mil dólares pelo traslado, já que a russa não tinha seguro de viagem. Ela estava no Brasil a turismo, acompanhada de uma amiga.

Além das dificuldades financeiras, há a barreira da língua e da comunicação, pois os pais e a irmã da jogadora também são surdos.

“Tento ajudar sua família agora. Restaram os pais e a irmã mais velha de Iana, Irina, que também são surdos-mudos. Eles não podem falar pelo telefone e nem sempre há tradutores para surdos-mudos. Devido a essa condição, os pais dela não são economicamente ativos. A Irina já está em Moscou, tentando resolver a questão”, contou ao portal Sovsport.Ru a sobrinha da jogadora, Elena Rodtchenkova.

Big

Iluminada

Segundo Rodtchenkova, a jogadora estava no Brasil como turista, mas tentava organizar uma fundação de auxílio a crianças surdo-mudas, como já havia feito anteriormente na Índia, com a criação  da instituição Budya.

“Pode-se dizer que ela era uma pessoa iluminada”, diz Rodtchenko.

Ela acrescenta que não sabe maiores detalhes da morte, já que os jornais brasileiros que divulgaram o acidente só tratavam do trânsito gerado.

“A amiga da Ina está por lá agora e viajava com ela. Ela enviou uma foto da Ina à Irina, e links para matérias nos jornais locais. Por meio desses não dá para entender muito bem de que se trata. Eles falam de uma via interditada, mas não de como a Ina foi parar lá. Também não se diz quem é o culpado, se o motorista ou a transeunte”, completa.

Os diários O Globo e O Dia divulgaram a notícia poucas horas após o acidente sem maiores detalhes.

Na página de Iana na rede social russa VK.com, multiplicam-se as mensagens de amigos e admiradores da jogadora.

Em 2013, a russa conquistou prata com a seleção do país nas “Surdolimpíadas”, o melhor resultado do país em toda a história do campeonato.

Fonte: Gazeta Russa

Comentários no Facebook

Comments are closed.