Em caráter experimental, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vai oferecer Intérprete/tradutor de Libras e videoprova para a comunidade surda.

CEARÁ – O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) passou por algumas mudanças, entre elas, a aplicação de forma experimental da prova para a comunidade surda. Este ano, os candidatos com deficiência auditiva poderão realizar a prova em uma sala especial com transmissão de vídeo (vídeoprova) em LIBRAS – Língua Brasileira de Sinais, e contaram com auxílio de dois intérpretes. Com as recentes mudanças, a Central de Interpretação de Libras (CIL) disponibilizou mais um serviço de mediação e auxilio nas inscrições dos participantes surdos.

Exames de audiometria gratuitos

Para quem vai fazer as provas em Libras, é preciso anexar à inscrição o exame de audiometria, que avalia a capacidade de ouvir e interpretar sons, além do Código Internacional da Doença. Através da CIL, os pacientes que estavam com o exame sem validade ou que nunca haviam realizado, foram encaminhados para uma clínica sem nenhum custo. “A gestão disponibilizou mais esse serviço para a comunidade surda. O exame audiométrico é caro, e todos que precisaram, realizaram de forma totalmente gratuita, pagos pela gestão”, afirmou a Diretora da Central de Libras, Cleide Barbosa.

Antes das mudanças, as provas eram prestadas em português e se contava apenas com o auxílio dos intérpretes, o que para algumas pessoas prejudicava o resultado final. “Estou tentando pela terceira vez, agora para o curso de Letras/Libras da UFCA. Com essa nova versão, acredito que vai ser mais fácil entender e consequentemente terei um desempenho bem melhor”, disse esperançosa a estudante, Simone dos Santos.

Trabalho informativo

Durante o período de inscrições do ENEM, a equipe da CIL passou nas escolas públicas e particulares no sentido de informar e orientar os alunos que precisarão do recurso para participar do processo seletivo.

Fonte: Juazeiro do Norte

Comentários no Facebook