O grupo de pesquisa ‘Desenvolvimento de Objetos de Ensino e Aprendizagem Bilíngues’, do Câmpus Palhoça Bilíngue do IFSC, lança uma ferramenta web colaborativa para a construção de um glossário na Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O “Glossário Libras”, como foi batizado, é uma plataforma destinada à busca e organização de verbetes em Libras. Vinculada às redes sociais, ela permite que o usuário pesquise as palavras em português e, nos resultados, apareçam vídeos com o sinal e o significado em Libras.

Todos podem colaborar com a ferramenta enviando vídeos, para registrar sinais de diferentes áreas de estudo, curtindo, compartilhando e comentando os verbetes. O dispositivo está em fase de testes e algumas funcionalidades ainda não estão disponíveis, mas a busca simples por termos e o cadastro dos vídeos já podem ser realizados. Para participar basta acessar o endereço www.palhoca.ifsc.edu.br/glossario. Não é preciso se cadastrar, o login é feito pelo Facebook e o envio do vídeo pelo YouTube. As curtidas e os compartilhamentos irão permitir avaliar quais os sinais serão mais aceitos pela comunidade, pois existem vários sinais diferentes para o mesmo termo.

No momento do cadastro do sinal, que deve ser registrado em vídeo, a ferramenta irá solicitar o nome do verbete, a sua definição em português, o link do vídeo no YouTube e as palavras-chaves (tags) relacionadas ao sinal. Com o aumento do conteúdo na plataforma, as palavras-chaves vão ajudar a definir as áreas dos sinais do glossário, isso porque uma tag irá se transformar em uma área quando ela for bastante citada. Por exemplo, se o usuário efetuar a busca pelo verbete ‘química’, irão aparecer todos os vídeos que tiverem essa palavra associada.

O projeto conta ainda com a parceira da Associação de Surdos da Grande Florianópolis (ASGF) e do Projeto Surdos, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que ajudaram a definir as características da ferramenta e vão colaborar na alimentação do conteúdo, bem como no seu aperfeiçoamento. “Essa pesquisa pode auxiliar no aprendizado social e apoiar a construção crítica da Libras, trazendo representação para a comunidade surda”, destacou a presidente da Associação de Surdos da Grande Florianópolis, Sandra Lucia Amorim.

Essa iniciativa atende a uma demanda urgente da comunidade surda, pois existe a necessidade de glossários para o registro de novos sinais, os quais vão ajudar na disseminação da Libras, cujo reconhecimento como meio legal de comunicação e expressão é recente. “É um espaço construído de maneira orgânica e colaborativa, que objetiva a propagação e o desenvolvimento da língua de sinais. Começamos a alimentar o software pelos glossários de sinais já disponíveis no câmpus, agora precisamos validá-lo, junto aos parceiros que representam a comunidade surda, a fim de propor correções, melhorias e incremento do conteúdo. No futuro pretendemos envolver outras instituições e ampliar essas parcerias para outros projetos”, comentou uma das professoras integrantes do projeto, Fabiana Bubniak.

O projeto Glossário Libras contou com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), por meio da chamada CNPq-SETEC/MEC N.º 17/2014, que apoia projetos cooperativos de pesquisa aplicada e de extensão tecnológica. A coordenação está ao encargo do professor Douglas Kaminski, e conta ainda com a participação dos seguintes docentes do câmpus: Bruno Velloso, Daniel Scandolara, Fabiana Bubniak e Laíse Moraes; e dos alunos bolsistas do curso superior de Tecnologia em Produção Multimídia, Artur Simon e Juliana Santos Krüger.

Fonte: Instituto Federal de Santa Catarina

Comentários no Facebook