No próximo dia 24 de abril será celebrado como o Dia Nacional da Língua Brasileira de Sinais (Libras), a língua usada pela maioria dos surdos dos centros urbanos do país.

A data comemorativa  atende uma reivindicação da Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis), instituição dedicada à causa das pessoas com deficiência auditiva, como parte da luta pelo reconhecimento e definitiva implantação da Libras.

A norma é descrita pelas pessoas surdas como uma conquista da liberdade da expressão gesto-visual, conforme ressalta  Thiago Antonio Fagundes de Oliveira, presidente da Associação de Apoio aos Surdos de Joinville e Região (AASJLLE). “O dia 24 de abril, com a criação do Dia Nacional de Libras, marca anos de luta da comunidade surda. O principal momento da história, onde não existia em nenhum outro lugar e o Brasil saiu na frente, mostrando que o nosso futuro será muito melhor para todos nós da comunidade surda.”

Na lei, o conceito de libras é descrito como forma de comunicação e expressão dessa comunidade. A Lei também serviu de alicerce para uma série de políticas públicas. Entre elas, a inserção do curso de graduação em Língua de Sinais Brasileira nas universidades públicas. As universidades federais do Amazonas, de Santa Catarina e do Ceará já aderiram a essa proposta.

As línguas de sinais são as línguas naturais das comunidades surdas. Ao contrário do que muitos imaginam, as línguas de sinais não são simplesmente mímicas e gestos soltos, utilizados pelos surdos para facilitar a comunicação. São línguas com estruturas gramaticais próprias.

Atribui-se às línguas de sinais o status de língua porque elas também são compostas pelos níveis linguísticos: o fonológico, o morfológico, o sintático e o semântico. Assim, uma pessoa que entra em contato com uma língua de sinais vai aprender uma outra língua, como o francês ou o inglês.

Thiago Antonio também destaca que ainda é necessário apoio de todos para que a  AASJLLE se mantenha e continue a dar o suporte necessário a comunidade surda de Joinville. “Participe da AASJLLE curta nossa página no Facebook (www.facebook.com/aasjlle) para saber o que está acontecendo na comunidade surda.  Também entre em contato com a secretaria Neusa pelo fone 47-996177859″, disse Thiago.

Fonte: Gazeta de Joinville

Comentários no Facebook