Tradutor e intérprete da Universidade promove acessibilidade aos usuários de Libras.

As pessoas surdas agora podem ter acesso ao vídeo institucional da UNIFAL-MG. Um projeto desenvolvido sob a liderança do servidor Cássio Eduardo Batista Vasconcelos, tradutor e intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras), do campus Varginha, possibilitou a inserção de uma janela desta língua, ao vídeo da Universidade.

A tradução foi proposta e apresentada no vídeo pelo próprio servidor, sob a supervisão da professora de Libras, Thaís Magalhães Abreu, do Instituto de Ciências Humanas e Letras, com o objetivo de garantir a transmissão em essência da informação. “Dentre as inúmeras estratégias de difusão, o vídeo institucional é uma das que se destacam, pois contempla os serviços que a Instituição oferece. Propusemos então, a inserção da janela de Libras ao vídeo institucional da UNIFAL-MG, para que seja promovida a acessibilidade aos usuários da língua de sinais”, enfatiza Cássio.

De acordo com o tradutor e intérprete, a finalidade do projeto é alcançar a comunidade surda do mesmo modo que foram e estão sendo atraídos os ouvintes. “Essa classe é assídua às redes sociais, canais de vídeos, canais televisivos, blogs e sites de instituições do ramo de Libras, portanto, é necessário que também a divulgação sobre a nossa Universidade, chegue aos surdos de forma integral e formal, para que os mesmos a conheçam e sejam atraídos pelos cursos aqui ofertados”, explica.

A adaptação da janela de Libras no vídeo institucional foi desenvolvida inteiramente na própria Universidade, contando com o aval do Prof. Paulo Roberto Rodrigues de Souza, diretor do campus Varginha, e a colaboração dos servidores daquele campus, Robson Vitor Freitas Reis, Fernando Henrique Martins Baldance e Iêda Gomes Francisco; além de Danilo Abreu e Silva do campus Poços de Caldas e da professora de Libras da sede, Thaís Abreu.

Após as gravações de alguns “takes” de tradução do vídeo, a equipe fez os recortes para a adaptação, quando foram utilizados recursos de softwares especializados, para a inserção de efeitos e da janela de apresentação. “A versão final passou pela revisão do servidor Danilo, que empregou seus conhecimentos como técnico em audiovisual para aperfeiçoar o vídeo”,ressaltou Cássio.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social – Unifal-MG