Coordenadora da Frente Parlamentar em Defesa das Pessoas com Deficiência, a deputada estadual Terezinha Nunes (PSDB) cobrou, durante reunião ordinária da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), desta quarta-feira (6), a aplicação da legislação estadual que obriga a presença de intérpretes de Libras em órgãos públicos para o atendimento a pessoas surdas.

“Pernambuco tem cerca de 300 mil pessoas surdas, sendo que somente 12 mil delas conseguem se comunicar sem a Libras. A lei é de 1999 e não é cumprida. Não podemos mais fechar os olhos para essa questão”, afirmou Terezinha. A Lei nº 11.686/1999 reconhece a Língua Brasileira de Sinais como “meio de comunicação objetiva e de uso corrente” em Pernambuco.

A tucana também informou que enviou ofício à Secretaria de Administração do Estado e à Prefeitura do Recife para cobrar o cumprimento da lei e comunicou que está apresentando um projeto de lei para estender a obrigatoriedade da presença de intérpretes também para hospitais, bancos e escolas particulares.

A parlamentar também reiterou pedido para que a Assembleia disponha de intérpretes de Libras durante as reuniões plenárias para promover a inclusão da pessoa com deficiência auditiva na Casa Joaquim Nabuco.

Fonte: Folha PE

Comentários no Facebook