Os vereadores de Campinas aprovaram na quarta-feira (08/03), em primeira votação, dois projetos que têm como objetivo promover a inclusão de pessoas com deficiência visual. Um dos projetos obriga as agências a terem pelo menos um profissional capacitado em Língua Brasileira de Sinais (Libras) para atender deficientes auditivos.

SÃO PAULO – Segundo levantamento do IBGE, Campinas/SP tem mais de 48 mil pessoas com este tipo de deficiência. De autoria dos vereadores Rafa Zimbaldi (PP) e Luiz Henrique Cirilo (PSDB), o objetivo da proposta é garantir que os deficientes auditivos não passem por constrangimentos nos bancos. “A inserção de Libras é importantíssima para possibilitar a inclusão”, diz Rafa.

Quem descumprir a regra será multado podendo até ter o alvará de funcionamento cassado em caso da quarta reincidência. As agências terão o prazo de 180 dias para se adequarem à norma. Outro projeto, de autoria do vereador Jorge da Farmácia (PSDB), determina que as empresas que fabricam as máquinas de operação de vendas de cartão de crédito e débito adaptem os aparelhos com teclas em braile e com recurso de audiodescrição, possibilitando o uso das pessoas portadoras de deficiência visual.

Fonte: Correio Popular