Equipe joga contra times convencionais e quebra barreiras contra o preconceito.

O Clube Montanha, no Alto da Boa Vista, recebeu, nesta quinta – feira (17/09), um treino de futsal com os atletas da Associação Valorizando as Diferenças (AVD) e com os preparadores da Federação de Futsal do Estado do Rio de Janeiro. A equipe, composta por 23 jogadores, está junta a pouco mais de quatro anos e já se destaca em campeonatos de futebol no Rio de Janeiro. O time recebe o apoio da Secretaria de Esporte Lazer e Juventude (Seelje).

Pela primeira vez em 61 anos, a Federação de Futsal do Estado do Rio de Janeiro apoia um projeto de inclusão. Ao todo, os preparadores somam cinco profissionais, que visam dar suporte para que os atletas possam competir com equipes de alto rendimento.

2576747

– O desejo da Federação é que esse projeto cresça a partir da disputa de campeonatos. É importante que esses garotos possam se capacitar para enfrentar desafios maiores. A meta é fazer com que outros times apareçam, não só voltados para os deficientes auditivos, mas para os deficientes intelectuais também – disse o presidente da Federação de Futsal do Estado do Rio de Janeiro, Kennedy Abrantes.

O time já foi campeão em competições locais, no ano de 2011, contra equipes de deficientes auditivos e chegou a ser vice-campeão, na edição de 2012. Atualmente, está participando do Campeonato Estadual de Futsal e da Liga Metropolitana de Futsal, que já se encontra na semifinal. O objetivo agora é promover um vínculo entre os deficientes auditivos e a sociedade. Por isso, é importante que os atletas estejam participando de campeonatos, como o Estadual de Futsal. O técnico Eduardo Ferreira Duarte luta desde 2004 para que os surdos sejam incluídos na cultura ouvinista.

– Eu sempre quis ampliar o trabalho com surdos no estado. Eles precisam conviver com pessoas convencionais e explorar cada vez mais as suas dificuldades. Esse é o maior desafio: quebrar a barreira entre o deficiente auditivo e os ouvintes. O resultado é o que menos importa para nós nesse primeiro momento – comentou Eduardo Ferreira Duarte, técnico e presidente da Federação Desportiva de Surdos do Estado do Rio de Janeiro.

Guilherme Monteiro Souza, de 20 anos, e Renan Aprigio de Almeida, de 21, descobriram a oportunidade através do amigo Pedro Duarte, que fazia Judô através da Associação Valorizando as Diferenças.

– Descobri que futsal é o que eu quero e jogar no Campeonato Estadual foi um desafio porque a cultura é diferente. Mas é importante para que nós possamos medir o nosso nível e melhorar ainda mais – falou Guilherme.

– Eu sei que preciso de muita experiência para me tornar profissional e fico feliz pelo apoio que estamos recebendo. É a primeira vez que eu vejo esse tipo de patrocínio para deficientes auditivos que jogam futsal – ressaltou Renan.

Fonte: Governo do Rio de Janeiro

Comentários no Facebook