Unidade deve agendar acompanhamento de deficientes em órgãos públicos. Nas órgãos públicos, intérpretes devem fazer tradução simultânea.

Com o intuito de simplificar o acesso de pessoas com deficiência auditiva a serviços públicos em Cuiabá, foi criada a primeira Central de Intérpretes da Língua Brasileira de Sinais do município. A principal função da instituição é agendar o acompanhamento de intérpretes quando os deficientes buscarem serviços em instituições públicas como hospitais, delegacias e fóruns.

cuiaba1Para utilizar o serviço do intérprete, o usuário deve solicitar que um profissional ou guia intérprete se desloque até o serviço público em que ele precise de atendimento. Ele se comunica na língua de sinais com o intérprete, que faz a tradução simultânea para o atendente do estabelecimento.

Segundo a professora Kamila Fonseca da Silva, que perdeu a audição ainda criança após complicações da meningite, construir uma carreira com a barreira da comunicação não é fácil e a instalação da Central facilita muito o caminho.“Às vezes a pessoa não compreende  o que nós tentamos dizer com as mãos ou mesmo pelas expressões. No médico, por exemplo,  nunca entendo o que ele fala e vice-versa”, disse, com a ajuda de um intérprete.

Izaura Cristina Maciel, intérprete há 17 anos, acompanha de perto a dificuldade dos deficientes em ter direitos atendidos. Para ela, o ensino de libras deve ser implantando ainda no ensino fundamental para ultrapassar barreiras no futuro. “Já temos inglês e espanhol, porque não ensinar libras desde a infância para ter melhorias no futuro?”, indagou a intérprete.

Para o início, a central em Cuiabá deve contar com quatro profissionais para auxiliar os deficientes. Segundo a coordenadora, com a procura pelo serviço novos profissionais devem ser contratados. A princípio, o acompanhamento deve ser feito em órgãos públicos. O agendamento para outros locais serão analisados.

Fonte: G1 Globo Mato Grosso